Vitiligo Gamonal

VITILIGO
ATUALIZAÇÃO NO MANEJO E
TRATAMENTOS
**************************
*********************
PROF. DR. ALOÍSIO GAMONAL
JUIZ DE FORA – MG
[email protected]
CONSIDERAÇÕES INICIAIS
Os mecanismos etiopatogênicos do vitiligo estão
ainda pouco elucidados e isto prejudica seu
tratamento de maneira mais aficaz.
42) Taieb A, Alomar A, Böhm M et al. Guidelines for the management of vitiligo:the European Dermatology Forum consensus. Br
J Dermatol 2013;168:5-19.
VITILIGO
Tudo sara, nada cura!
Aloísio Gamonal, 2013
• Vitiligo é discromia (acromia), adquirida, que
afeta cerca de 1% da população mundial, sem
preferência de raça e gênero.
• Sua etiologia é ainda indefinida, embora mais de
1500 trabalhos anualmente sejam publicados a
respeito.
• O foco atual é a genética, para nos fazerentender um pouco mais.
• Os tratamentos não são milagrosos e devemos
agir com cautela na propagação de resultados
não científicos.
CLASSIFICAÇÃO
42) Taieb A, Alomar A, Böhm M et al. Guidelines for the management of vitiligo: the European Dermatology Forum consensus. Br J Dermatol
2013;168:5-19.
• VULGAR , GENERALIZADO OU NÃO
SEGMENTAR (NSV)
– Caracterizado por máculas brancas, adquiridas,simétricas, crescimento lento e gradual.
• SEGMENTAR (SV)
– Também adquirido, com disposição seguindo as
linhas de Blascko (dermátomos), unilateral
(assimétrico), início abrupto, uni-segmentar
• ESTÁGIOS DE DESPIGMENTAÇÃO (Grimes)
(48)
Estágio
Estágio
Estágio
Estágio
I
II
III
IV
Limitada
Moderada
Moderada/severa
Severa
< 10%
10-25%
26-50%
> 50%
Conduta terapêutica, Grimes (48)
ESTÁGIO I e II dadoença
ESTÁGIO III e IV da doença
Corticóides tópicos
Oral fotoquimioterapia
Fotoquimioterapia (PUVA ou KUVA
sol/lamps)
Corticóides sistêmicos
Banhos de fotoquimioterapia
Banhos de fotoquimioterapia
Pseudocatalase/UVB
Imunomoduladores (isoprinosine,
levamisole)
UVB fototerapia (“narrow” ou “broadband”
UVB fototerapia (“narrow” ou “broadband”
L-fenilalanina/UV
L-fenilalanina/UVMelagenina
Imunossupressores (ciclosporina,
ciclofosfamida, mostarda nitrogenada)
Calcipotriol/PUVA
Despigmentação (casos severos,
recalcitrantes)
Emulsões com coaltar
Suplementos vitamínicos
Enxertos (nas lesões estáveis)
• VITILIGO
SEGMENTA
R
VITILIGO SEGMENTAR
• VITILIGO NÃO
SEGMENTAR
• VITILIGO NÃO
SEGMENTAR
CLASSIFICAÇÃO DO VITILIGO E
ASPECTOS ESPECÍFICOS DE SEUS SUB-TIPOS
TIPOS DEVITILIGO
SUB-TIPOS
OBSERVAÇÕES
NSV
FOCAL, MUCOSO, ACROFACIAL, GENERALIZADO,
UNIVERSAL
IMPORTANTE PARA
ESTUDO EPIDEMIOLÓGICO
SV
FOCAL, MUCOSO, UNI, BI
OU PLURI-SEGMENTAR
AUXILIA NA
CLASSIFICAÇÃO, PORÉM
AINDA NÃO ESTÁ
PADRONIZADO
MISTO (NSV + SV)
DEPENDENTE DA
SEVERIDADE DO “SV”
QUANDO INICIA POR “SV”
E DEPOIS ESPRAIA, O
QUADRO É MAIS SEVERO
SEM CLASSIFICAÇÃO
INICIALMENTE FOCAL EPOSTERIORMENTE MULTIFOCAL
NECESSITA SEGUIMENTO
CLÍNICO PARA MELHOR
DEFINÍ-LA
42) Taieb A, Alomar A, Böhm M et al. Guidelines for the
management of vitiligo: the European Dermatology Forum
consensus. Br J Dermatol 2013;168:5-19.
PROGNÓSTICO
CONDUTA
DIAGNÓSTICO DE CERTEZA SEM CERTEZA
PROVA SEMIOLÓGICA
Hemograma completo
LÂMPADA DE WOOD
VHS
T4 + TSH
Ferritina
Vit. B12
FAN
Provas de funçãohepática
Hepatites viróticas
Glicemia
Vitamina D ?
Biópsia
Roberto Azambuja
Hospital Universitário de Brasília
[email protected]
Teorias sobre a etiopatogenia
do vitiligo
Autoimune
Neurogênica
Autocitotóxica
Bioquímica
Genética
Teoria autoimune
Supõe que os melanócitos sejam destruídos por mecanismos humorais ou
celulares.
Evidências:
• Relatos de vitiligo associado a doenças autoimunes
• Vitiligocomo marcador clínico de doenças autoimunes subclínicas
• Corticosteróides tópicos ou sistêmicos podem deter a expansão das
manchas e induzir a repigmentação
• Autoanticorpos órgão-específicos circulantes em 20-30% dos casos
• Autoanticorpos contra antígenos melanocíticos em 80% dos casos.
45) Vrijman C, Kroon MW, Leeflang MMG et all. The prevalence of thyroid disease in patients with vitiligo:…