TRABALHO SOBRE PLACA DE CIRCUITO IMPRESSO

?
FIESC SENAI
Técnico em Automação Industrial
Eletrônica Básica
Processo de Confecção de Placas de Circuito Impresso
Docente: Elisângela Eli De Souza
Aluna: Leticia de Araújo

Florianópolis, 12 de junho de 2015
Introdução
As placas de circuito impresso, também conhecidas como PCIs, geralmente não estão à vista, mas elas fazem parte de tudo o que envolve tecnologia. Computadores,cadeiras automatizadas (como as de dentistas), sistemas de segurança, smartphones, brinquedos, carros e chuveiros são apenas alguns exemplos de dispositivos que usufruem dessas placas repletas de componentes eletrônicos para desempenhar suas respectivas funcionalidades. Um circuito impresso consiste em uma placa formada por camadas de materiais plásticos e fibrosos (como fenolite, fibra de vidro,fibra e filme de poliéster, entre outros polímeros) que conta com finas películas de substâncias metálicas (cobre, prata, ouro ou níquel). Essas películas formam as “trilhas” ou “pistas” que serão responsáveis pela condução da corrente elétrica pelos componentes eletrônicos.

Etapas

O primeiro bloco é o que diz respeito ao diagrama esquemático do circuito a ser produzido. Caso o projetonão seja de nossa autoria, sempre que o tiramos de algum livro, revista ou apostila é aconselhável que o mesmo seja cuidadosamente analisado para ver se há uma coerência. Para isso, os conhecimentos teóricos são essenciais.
Exemplo de diagrama esquemático.
A protoboard é ferramenta indispensável na bancada de trabalho, pois tem a principal vantagem de interconectar os componentes sem o uso desolda, podendo estes ser reutilizados para outros projetos caso o circuito não funcione.

Comprovado o funcionamento do circuito na prática com a ajuda da protoboard, passamos a idealização do lay-out, que é o quarto bloco. O lay-out é o desenho físico em tamanho real do circuito impresso a ser concebido, nele encontramos, além de todas as trilhas e ilhas de ligação, a máscara dos componentes queserão soldados na placa.
É claro que nem sempre este lay-out está disponível junto com o circuito a ser construído, cabendo ao próprio montador a tarefa de projetá-lo. Ao contrário do que muitos pensam, o projeto de um lay-out não é coisa de outro mundo, pois basta um pouco de conhecimento teórico eletrônico, bem como o conhecimento do aspecto físico real dos componentes utilizados na montagem. – O desenho do lay-out é totalmente dependente do diagrama esquemático, portanto a interpretação de diagramas é vital para sua concepção.
– Não desenhe aleatoriamente. Siga sempre uma sequência lógica (da esquerda para a direita, por exemplo).
– Faça o desenho matriz em uma folha ofício. Jamais elabore um lay-out diretamente na placa de fenolite ou fibra.
– Tenha sempre todos os componentes àmão, para poder basear-se nas dimensões exatas de seus aspectos físicos.
– Use uma régua para medir milimetricamente os detalhes do componente quando não se tiver absoluta certeza de seu tamanho.
– Para cada trilha, inicie marcando os pontos onde serão feitos posteriormente os furos da placa, em seguida realize as interligações.
– Se necessário utilize jumpers para evitar trilhas muito longas.Lembre-se: trilhas muito longa podem ser equivalentes a pequenas indutâncias e trilhas paralelas muito compridas podem representar capacitâncias parasitas em alguns casos, prejudicando o funcionamento do circuito.
– Muitas vezes torna-se necessária a construção de um lay-out com um tamanho específico de placa. Isso ocorre normalmente quando uma placa de circuito precisa ser bem pequena para caberem determinado local. Não tenha pressa. Desenhe e redesenhe o lay-out quantas vezes precisar até obter o tamanho de placa desejado. Às vezes pode ser necessário desenhar o lay-out até 10 vezes para se conseguir uma placa nas dimensões requeridas!
– Componentes como trimpots, relés, alguns transistores e circuitos integrados devem ser encaixados sob medida na placa devido ao seu formato….