ARTIGO

?emana Aula: 8
TEMA
RECURSO EM SENTIDO ESTRITO
APLICAÇÃO PRÁTICA/ TEÓRICA
Em 01/02/2008, Tício Bisneto foi acusado de ter contratado, em 03/01/2008, Téo para matar Caio, que era amante de sua esposa.Téo foi acusado de ter instalado, em 15/01/2008, uma bomba no carro de Caio, para que ele explodisse quando a ignição do veículo fosse ligada. De fato, quando Caio acionou o motor do carro, houve umaexplosão, que o matou.
Tício Bisneto e Téo foram apontados como incurso no art. 121, §2º, inc I – mediante paga; II – motivo fútil consistente em ciúmes; III – emprego de explosivo; IV – recurso queimpossibilitou a defesa da vítima; c/c o art. 29, caput do CP. Em 12/02/2008, Téo faleceu, tendo sido, então, declarada extinta a sua punibilidade, não tendo ele chegado a ser ouvido, visto que, nafase policial, permanecera em silêncio.
Na audiência de instrução ocorrida em 14/02/2008, foram ouvidos: o médico legista, que confirmou a morte por explosão; dois policiais que afirmaram que, como Téojá era procurado pela polícia, uma interceptação telefônica autorizada para desvendar outro crime captara, casualmente, conversa entre ele e outra pessoa, não identificada, supostamente Tício Bisneto,na qual este negociava a morte com Téo a morte de uma pessoa, cujo nome não foi mencionado, tendo sido, na ocasião, marcado encontro entre os dois; e um perito, o qual declarou que, conforme períciajuntada aos autos, a voz da conversa interceptada era semelhante à de Tício Bisneto, embora não fosse possível uma afirmação conclusiva.
Da gravação nada constava sobre a forma de execução do crime.Duas testemunhas, amigas de Caio, afirmaram que ele era amante da esposa de Tício Bisneto. Como testemunhas de defesa foram ouvidos dois amigos de Tício Bisneto, que disseram ser este pessoa calma ededicado pai de família, incapaz de causar mal a qualquer um, e sua esposa, que negou ter relações com a vítima.
Interrogado, Tício Bisneto negou a contratação e disse viver bem com a esposa.
Finda a…