A Menina Que N O Era Maluquinha

?
A Menina que Não Era Maluquinha
Maluquinha, eu?
Eu não! Não sou nenhuma maluquinha!
Quem me pôs esse apelido foi aquele menino de casacão e panela na cabeça.
Ele me botou esse apelido quandoeu fui brincar na casa do Mauricinho.
Eu nem queria ir.
Mas a mãe dele telefonou pra minha mãe, ela disse que o Mauricinho era muito tímido e que ela queria que ele brincasse com umas criançasmais… Não sei o que ela disse, acho que ela queria que ele brincasse com umas crianças mais descoladas…
E aí minha mãe me encheu um pouco e eu acabei indo.
A gente chegou na casa do Mauricinho efoi logo almoçar.
E depois do almoço a mãe dele botou a gente pra fazer a lição.
Eu não me incomodo de fazer lição logo depois do almoço, porque eu fico logo livre.
Mas a mãe do Mauricinhocomeçou a fazer uns discursos sobre responsabilidade e coisa e tal, que a gente já era grandinha e tinha que cumprir com os compromissos… Um saco!
Eu tô careca de saber disso!
E então eu fiz minhalição correndo e o Mauricinho ficou lá toda a vida, ele não acabava mais de fazer a lição dele.
Aí eu comecei a rodar pela casa até que encontrei um gato.
Gato não, gata. Chamava Pom-pom. Ou eraFru-fru… Ou era Bom-Bom, sei lá.
E eu peguei a gata e ela estava meio fedida.
Então eu resolvi dar um banho nela. Gato não gosta de banho, vocês sabem.
Mas meu avô tinha me contado que quando elequeria dar banho no gato ele botava o bicho dentro da banheira e ele não conseguia sair e meu avô dava banho à vontade!
Mauricinho tinha um banheiro dentro do quarto dele.
Quando eu fui chegandoperto da banheira a gata arrepiou toda e eu joguei ela bem depressa lá dentro e tapei o ralo e enchi de água.
E esfreguei a gata todinha com um shampoo todo perfumado que tinha lá e eu estava achandoque todo mundo ia gostar de ver a gata toda limpinha. A gata estava muito infeliz e ela miava miaaauuu… e tentava sair do banho, mas meu avô tinha razão: ela arranhava a parede da banheira, mas…